quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Olá, Felisminas!

A vida é feita de sorrisos, não há dúvida!

Acabei de receber o telefonema de uma professora de Massamá, de nome Felismina. Tínhamo-nos conhecido há vários anos, brincámos com o nome... Porquê?
Ora... porque tenho um conto com uma personagem que adoro - chama-se Felismina. Está no livro de contos "O Degrau de Cima", o único livro de contos que consegui publicar (!, é tão difícil em Portugal!) e que saiu em 1997.

Gostei de ouvir a voz desta Felismina de carne e osso, uma voz doce e feliz. Tocou-me...

E como calculo que haja mais Felisminas por aí (o grupo no FB tem hoje 108!), queria deixar a todas um grande beijinho

quinta-feira, 31 de março de 2011

sexta-feira, 4 de março de 2011

De Nome, Esperança - um comentário

Recebi esta mensagem de uma amiga bibliotecária que leu De Nome, Esperança

De “Uma Pedra sobre o rio” para “De nome, Esperança”, é como passar do esboço do desenho (que já tem quase tudo, incluindo a harmonia) para o desenho final com o “encorpado” das sombras e a profundidade. Desculpa a comparação mas é a que me surge para dizer o que sinto.
A narrativa (final) da Esperança é de uma beleza tremenda.
Obrigada pelo destino do bibliotecário.
Obrigada pelo candeeiro e pela gota de água.
Obrigada pelo cão.
Obrigada pela arquitectura da narrativa.
Adorei a arquitectura.
Os labirintos e os pátios que foram desenhados para dar ritmo ao leitor.
Obrigada pela beleza de tantas frases que assinalei a lápis fino para as copiar antes do livro avançar para outro leitor.
Por este prazer de ler e por poder replicar dentro de mim as histórias, acredita na gratidão desta humilde leitora tua.Entretanto, o teu livro está a passar de mão em mão, mas por mãos escolhidas. Só depois o lanço ao vento. Agora estou na fase de: será que o/a “fulano/a”vão sentir algo semelhante?

domingo, 13 de fevereiro de 2011